sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Spas são opção para quem quer fugir da comilança

Texto: Leandro Nogueira (Jornal Cruzeiro do Sul)
Além da folia, o Carnaval é aproveitado por muitos para consumir bebida alcoólica ou refrigerantes em festas promovidas com amigos e familiares, onde saboreiam fartos pratos como churrasco e outros alimentos ricos em gordura, sal e açúcar. Mas há os que escolheram justamente esses dias para desvencilhar-se do hábito de consumir mais do que precisam e, para isso, hospedaram-se em Spas. É o caso de, ao menos, 150 pessoas que lotam nesta semana o Spa Med Sorocaba Campus. Lá, alimentam-se com porções dosadas no limite do que realmente precisam, ingerindo refeições naturais sem adições de gordura, produtos industrializados ou com excesso de sal. "As pessoas associam os feriados e finais de semana para comer em exagero, conceito que precisa ser alterado", opina a nutricionista Aline von Gal, do Spa Med Sorocaba Campus. Além da dieta, os clientes do Spa fazem atividades físicas e recebem acompanhamento médico.

A médica dermatologista Isabel Dominguez, 40 anos, mora em São Paulo e preparou-se para passar dez dias, incluindo o período do Carnaval, no Spa em Sorocaba. "Foi proposital escapar da caipirinha para ficar no suco de limão", declarou sobre o período carnavalesco. O objetivo da dermatologista é reeducar a alimentação para manter o peso. Disse que, ao optar por um Spa ao invés da estadia em um resort ou viagens para Nova York ou Salvador, a pessoa está bem centrada no que pretende. "É uma opção de escolha e em dois dias já percebo que não estou mais estufada", declarou. Ela disse que não fica lembrando da fartura que poderia saborear nesses dias de festa porque tem justamente a vontade de reorganizar a alimentação e praticar atividades físicas.

Outra médica, a intensivista Cristina Malzoni, 54 anos, conta que na primeira semana no Spa sentiu um certo grau de fraqueza, mas depois o organismo acostumou e agora, dependendo do que servem, ela chega a achar que é muito. Ela hospedou-se em janeiro com a proposta de reeducar-se, perder peso e relaxar. "A opção de ficar durante o feriado prolongado foi dar continuidade à reprogramação do organismo para ter hábitos mais saudáveis ao invés de cair em uma falha como o abuso do Carnaval", declarou. Disse que, em 20 dias, perdeu sete quilos e fez uma reprogramação no organismo. Explicou que não abusava mas se alimentava incorretamente, já que passava muito tempo sem comer durante o dia e fazia da janta a principal refeição.

A médica Cristina Malzoni e o comerciante Paulo Zidoi optaram pelo spa para fugir da folia - Por: Aldo V. Silva

O comerciante Paulo Zidoi, 55 anos, está no Spa há sete meses. Passou pelos feriados da Independência, República, Natal, a virada do ano e agora o Carnaval. Chegou com 216 quilos e agora está com 148 quilos. "Seria interessante que todo mundo passasse ao menos um final de semana em um Spa para ter noção do que é se alimentar bem e cumprir os horários para as refeições", declarou. Disse que nunca foi obeso, mas engordou devido a problemas emocionais e metabólicos. Afirma que agora já se adaptou à reeducação e mesmo com as porções limitadas, a fome que sente é pequena. "É a cabeça que precisa mudar, e quando isso acontece o corpo acostuma", declarou.


50 quilos de carne

Já os que mantêm o hábito de aproveitar esse período para estreitar os laços de amizade em torno de uma churrasqueira não querem nem ouvir falar em Spa nos dias de Carnaval. O churrasqueiro Olivar Rosa, 43 anos e o cabeleireiro José Maria Cardoso, 48, eram apenas dois dos cerca de 30 amigos que estavam reunidos no início da tarde de ontem no Bar do Martinho, no Jardim Progresso. "Olha, ele está perguntando de Spa aqui para mim", avisava o churrasqueiro aos demais do estabelecimento enquanto conversava com a reportagem. Olivar declarou que, durante os quatro dias de Carnaval, estará em companhia dos amigos comendo churrasco com bebida. Ele prevê que, nesse período, o grupo deverá consumir cerca de 50 quilos de carne. Ontem preparavam cinco quilos de pernil, três quilos de frango e dois quilos de linguiça. O fogo foi aceso às 11h e a previsão era que a festa se estendesse até às 22h. "Começamos tarde. A ideia era acender às 10 horas. Se a carne acabar, alguém vai comprar mais", declarou Olivar.


Abuso

O inchaço do corpo é a tendência para aqueles que ingerirem alimentos e bebidas em excesso durante os quatro dias, segundo a nutricionista Aline von Gal. "Os churrascos normalmente são temperados com muito sal grosso e a bebida alcoólica retém líquido. Ela prevê a ressaca e o excesso de peso, respectivamente, como resultado do abuso de álcool e alimento excessivo. Aos que acordarem com ressaca, recomenda alimentação leve com redução da ingestão de sal e o consumo de muita água para manter-se hidratado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário